Construir um Muro Pode ser a Solução: Proteja seu Negócio com um Paywall

Em tempos de discussões sobre a construção ou não de muros, vamos nos posicionar: construir um muro de pagamento vai sim proteger o seu negócio, fortalecer sua empresa, remunerar justamente seus colaboradores e garantir o espaço do conteúdo de qualidade. Vamos falar de paywall.

Cenário Atual

Utilizado principalmente por meios de comunicação que antes cobravam assinatura do meio físico, como jornais e revistas, essa barreira apareceu como alternativa viável para recuperar a receita perdida quando as assinaturas de publicações impressas começaram a cair vertiginosamente.

Num primeiro momento os grandes jornais apostaram somente em anúncios, um modelo de negócios baseado na audiência e na venda de espaço publicitário. Algo semelhante ao que mídias como rádio e televisão aberta sempre fizeram. Não demorou para que os empresários se dessem conta que os números não fechavam.

Um exemplo bastante disseminado é o do The New York Times, no final dos anos 2000 o gigante havia desistido do paywall e aberto todo seu conteúdo gratuitamente, motivando diversos concorrentes a tomarem a mesma atitude. Menos de quatro anos depois foi obrigado a rever a estratégia e hoje é um dos expoentes quando se fala em assinatura de conteúdo online, tendo 3,5 mihões de assinantes digitais, segundo o portal Estado de Minas, em matéria publicada 08/05/2019.

Além do The New York Times, os principais veículos de comunicação do Brasil e do mundo também utilizam de alguma forma a ferramenta, como: Estadão, Folha de São Paulo, O Globo, Zero Hora, The Guardian e The Economist. O jornal espanhol El País, pertencente ao conglomerado espanhol de comunicação, Grupo PRISA, está se preparando para aplicar seu modelo de paywall no segundo semestre de 2019 (Fonte: ANJ em 01/02/19).

Mudanças Importantes

Até pouco tempo atrás o Google era visto como um problema para os muros de pagamento. Sites que não disponibilizassem uma quantidade fixa de notícias gratuitas não eram indexados pelo buscador. Para não perder relevância, os portais abriam os textos para cliques oriundos do Google, o que se tornou um método de burlar a obrigatoriedade do pagamento. Foi em 2017 que o buscador reviu sua política e resolveu não penalizar mais os sites que utilizam paywall. Essa mudança de postura foi um marco importante para a manutenção do jornalismo profissional. Além disso, a gigante da internet está empenhada em melhorar a experiência do usuário na hora de fazer seu cadastro, procurando maneiras de simplificar o processo de pagamento e agilizar o direcionamento para o conteúdo desejado.

A cultura do conteúdo gratuito na internet, propagada nos anos 90 e 2000 também está sendo modificada. Acostumados a baixar filmes, músicas e livros, o grande público está se familiarizando com a justa troca que é pagar para o fornecedor do conteúdo. Grandes players do streaming como Netflix, Amazon e Spotify vieram para ficar, modificando assim o modelo mental dominante das décadas passadas. Assinaturas mensais a preços relativamente baixos, entregando conteúdo de qualidade com a praticidade do meio digital, são poderosos aliados na hora de defender o paywall.

Leitores Pagarão pelo Conteúdo?

Ao modificar seu modelo de distribuição de conteúdo para paywall, é preciso atenção em alguns pontos. Toda mudança enfrenta alguma resistência, mas fazendo uma transição gradual o público entenderá o objetivo. Seguem três dicas de ouro para auxiliar na implementação:

1 – Explicar os Benefícios

Faça uma campanha informando aos seus usuários os benefícios que eles terão ao assinar seu conteúdo, como vídeos e artigos exclusivos de especialistas e influencers, além, claro, de estarem remunerando quem faz o trabalho correto de verificar fontes e checar a veracidade da informação. Isso demonstra preocupação com o cliente. Disponibilize canais de comunicação para tirar dúvidas e atender esses leitores, deixe claro quais as novas regras. Oferecer brindes para os primeiros assinantes também traz sempre um bom retorno.

2 – Fazer Testes

Provavelmente você já tenha uma receita proveniente da publicidade. É importante para seu site manter o número de entradas e assim não impactar o modelo de negócio baseado nos anunciantes. Paywall e anúncios podem e devem andar juntos. Pesquise outros portais que já adotam o pagamento por conteúdo, faça testes na implantação do novo sistema e fique atento às métricas.

3 – Transição Gradual

O principal teste que recomendamos é a transição gradual para o paywall. Reduza aos poucos o número de textos abertos para leitura gratuita. Em seguida estabeleça uma troca, o leitor poderá acessar livremente através de cadastro com sua conta de rede social. Assim, então, você estabelecerá o modelo definitivo, seja o paywall rígido ou algumas das formas de paywall poroso.

Conheça os Modelos de Paywall

Citamos anteriormente os dois modelos existentes de paywall, o rígido e o poroso. O último ainda se subdivide de acordo com o nível de bloqueio e é considerado um modelo mais inteligente, por não afastar os leitores e possibilitar audiência para manter a receita dos anúncios.

Paywall Rígido

Hard PayWall: Nesse modelo somente assinantes possuem acesso ao conteúdo. Toda matéria está bloqueada. Um exemplo é o Jornal Tribuna do Norte, de Apucarana, no Paraná.

Paywall Poroso

Metered Paywall: Aqui o site libera uma quantidade de conteúdo por um determinado tempo, após isso o leitor é bloqueado e convidado a ser assinante. O Jornal Ibiá, de Montenegro, no RS, por exemplo, libera até cinco notícias por semana para quem fizer login através das redes sociais. Essa é uma metodologia de degustação controlada.

Freemium: O site escolhe os conteúdos que serão gratuitos e quais dependerão da assinatura. Ele estabelece uma hierarquização de conteúdo, tornando alguns exclusivos. Essa tática de textos premium é utilizada pelo Jornal O Diário, de Ivoti, no Rio Grande do Sul, que utiliza um paywall desenvolvido pela Aspin.

Metered Freemium: Diversos tipos de assinaturas são disponibilizados, de acordo com o perfil dos leitores. Assim o usuário escolhe qual tipo de conteúdo quer pagar. É uma forma de personalizar o atendimento para quem não vai consumir todo o tipo de notícia e fornecer um produto mais em conta, separando em pacotes para o consumidor.

Implemente seu Paywall com a Aspin

Aqui na Aspin somos especialistas no desenvolvimento de paywall. Entre em contato conosco e vamos construir esse muro para melhor proteger o seu negócio.

Share this Post

Deixe uma resposta